VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 13º | 21º
Segunda-feira | 24 de Abril de 2017 08:07

FASE GENITAL POR SIGMUND FREUD 09/10/2014


Por: Michele

09/10/2014

Nas semanas anteriores os textos da coluna trataram sobre as fases do desenvolvimento infantil de acordo com os estudos de Freud. Como já mencionado nos textos anteriores, Freud – “o pai da psicanálise” - considerou o critério afetivo, que corresponderia ao comportamento do indivíduo frente aos seus objetos de prazer e dividiu esse desenvolvimento em fases sucessivas, atribuindo a cada uma delas um nome ligado a parte do corpo.

Dessa forma, foram descritas as consideradas fases pré-genitais: a fase oral; a fase anal, e a fase fálica. E, após esses momentos, o período de latência.

No texto dessa semana iremos entender um pouco mais sobre a fase denominada de “genital” – a qual segue sucessivamente após o período de latência que as crianças em geral experienciam.
Na fase genital, a criança volta a sua energia sexual para seus órgãos genitais e às relações amorosas. Freud menciona que esta é a primeira vez que uma criança quer agir de acordo com seu instinto de procriar.

Esse momento se dá durante a adolescência e as pulsões sexuais, acompanhando as mudanças corporais, despertam e se dirigem a uma pessoa do sexo oposto.

Os conflitos internos das fases anteriores atingem na fase genital uma constância conduzindo a pessoa a uma composição que lhe permite enfrentar os desafios da idade adulta.

Com a finalização das fases do desenvolvimento, o sujeito passa, então, para a fase adulta e segue desenvolvendo-se de acordo com suas potencialidades.

Encerra-se, neste sentido, a série de textos sobre desenvolvimento infantil, segundo Freud. Espero que tenha ajudado!

 

1387 visitas






Sua Opinião