VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 13º | 21º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 02:13

O QUE É NEUROEDUCAÇÃO 23/10/2014


Por: Michele

23/10/2014

Há umas semanas atrás aprendemos o que é Neurociência. Você está lembrado? Se não teve a oportunidade de ler esse texto, vale a pena retornar e se informar, pois essa ciência é muito importante para quem quer saber um pouco mais sobre educação e aprendizagem!

No texto de hoje vamos tratar da Neuroeducação, uma ciência que deriva dos conhecimentos da neurociência, é um campo interdisciplinar que combina a neurociência, psicologia e educação para criar melhores métodos de ensino e currículos.

As pesquisas e iniciativas da neuroeducação têm crescido muito no mundo, nos últimos anos, e tentam usar descobertas sobre aprendizagem, memória, linguagem e outras áreas da neurociência cognitiva para informar os educadores sobre as melhores estratégias de ensino e aprendizagem. Cada vez mais, os professores querem e precisam saber sobre como os seus alunos aprendem e memorizam as informações ensinadas. Os neurocientistas, por outro lado, querem saber como essas indagações dos professores podem sugerir novas pesquisas em neurociência.

Outra linha de abordagem em neuroeducação é compreender quais e como os distúrbios e doenças nervosas e mentais podem afetar o aprendizado dos alunos e como os professores podem colaborar com outros profissionais para ajudar a identificar problemas em sala de aula, de modo a enfrentá-los com novos métodos de educação especial para a inclusão social dos seus alunos.

Neste sentido, a neuroeducação foi desenvolvida pensando em tornar o ato de estudar, frequentar a escola, ler livros, prestar atenção nas aulas, pensar, aprender coisas novas em algo muito interessante, fácil, prazeroso e ao alcance de todos.

Muitas pessoas vêm sendo trabalhadas com a neuroeducação, tanto para superar incapacidades de aprendizagem como para expandir conhecimentos específicos.

A idéia de neuroeducar as dificuldades de aprendizagem é sugerida na medida em que se constatou diferentes estudos sobre a inteligência tais como a neurolinguística. Neste sentido, surgiu a neuroeducação, com o objetivo de dignificar o ser humano, reorganizando as matrizes lógicas do seu sistema mental com as ferramentas do modelo de intervenções, que desenvolvemos para este fim.

As relações entre o cérebro e a aprendizagem se aproximam cada vez mais e a somatória, neurociência e psicopedagogia, nos permite melhor compreensão quando se trata da atuação do profissional da educação na clínica, de forma sistemática, sobre prevenção precoce das dificuldades na aprendizagem.

A educação reconhece que cada vez mais precisa da neurociência.

 

1764 visitas








Sua Opinião