VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 18º | 28º
Segunda-feira | 22 de Janeiro de 2018 12:11

ANEEL determina bandeira verde no mês de janeiro

Após três meses consecutivos com a bandeira vermelha em vigor, a mudança ocorre graças à melhora nos níveis dos reservatórios de hidrelétricas

Por: Cocel

A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL divulgou que a bandeira tarifária a ser aplicada no mês de janeiro é a verde – sem cobrança adicional na fatura de energia. Após três meses consecutivos com a bandeira vermelha em vigor, a mudança ocorre graças à melhora nos níveis dos reservatórios de hidrelétricas que resulta em melhores condições para geração de energia elétrica.

Em dezembro esteve em vigor a bandeira vermelha – patamar 1, e a cobrança será proporcional conforme a data de leitura de cada unidade consumidora. Por exemplo, se a leitura da unidade consumidora for realizada em 15/01/18 (consumo referente ao período compreendido entre 15/12/17 e 15/01/18), na fatura de janeiro a incidência da cobrança da bandeira será proporcional (15 dias de bandeira vermelha e 15 dias de bandeira verde). A data de leitura de cada unidade consumidora pode ser consultada na fatura de energia.

Sistema é totalmente gerenciado pela ANEEL

O sistema de bandeiras tarifárias é totalmente gerenciado pela ANEEL e todo o valor arrecadado é repassado à agência reguladora – nenhuma parte fica com a concessionária. O sistema tem o objetivo de sinalizar o custo real da energia gerada para que os consumidores economizem nos períodos de condições desfavoráveis de geração. Em 2016 a bandeira verde foi acionada apenas nos meses de janeiro e fevereiro, principalmente devido à grande estiagem que atingiu grande parte do território nacional.

 

O sistema elétrico brasileiro é totalmente interligado (forma o SIN – Sistema Interligado Nacional), por isso condições adversas na geração de energia em algumas regiões podem afetar todos os estados. A matriz energética do país é composta essencialmente por hidrelétricas (que têm custo de geração menor, porém a produção é afetada quando há falta de chuvas). Em períodos em que as hidrelétricas não suprem toda a demanda são acionadas as termelétricas (com custo de geração muito maior).

8680 visitas








Sua Opinião