VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 18º | 27º
Quarta-feira | 21 de Fevereiro de 2018 12:09

Período de Carnaval exige cuidados extras com a saúde

Apesar da cidade não ter tradição na comemoração do Carnaval, há um grande número de pessoas que gostam de viajar para outras localidades que possuem festas grandes, como litoral

Por: Caroline Paulart

Apesar da cidade não ter tradição na comemoração do Carnaval, há um grande número de pessoas que gostam de viajar para outras localidades que possuem festas grandes, como litoral, por exemplo. Apesar de ser um momento de festa, é importante ficar atento a algumas medidas de prevenção de doenças.

A Folha de Campo Largo conversou com a diretora de departamento da Vigilância Sanitária, Leoni dos Santos e com o diretor técnico do município, Dr. Carlos Rocha, que deram algumas instruções sobre como curtir a folia de forma consciente.

Aproveitando a festa

Conhecido popularmente como a época em que “tudo pode”, é importante lembrar aos foliões que existem doenças transmitidas inclusive pela saliva. “O importante é escolher quem beijar. A doença do beijo, ou a mononucleose, é transmissível pela saliva e pode deixar uma pessoa doente por até um mês e trazer complicações bem sérias”, explica Dr. Carlos.

Segundo ele, os principais sintomas são febre, dor nas articulações e dor de garganta. “Muitas vezes ela pode ser confundida com uma dor de garganta, inclusive pelo médico. Se ele receita um antibiótico podem aparecer edemas de pele, muito parecido com um grosseirão. Essa é uma reação comum, mas é importante voltar ao médico para diagnóstico correto. Em alguns casos, há aumento no tamanho do fígado e do baço, podendo inclusive causar ruptura nesses órgãos, o que leva a uma complicação bem mais grave”, completa.

A responsável pelo departamento de Vigilância Sanitária, Leoni, explica a importância do uso de preservativo. “Hoje temos a presença de um número bem significativo de pessoas que são soro positivo – ou seja, têm AIDS -, e também de infectados pela sífilis, uma doença que acabou voltando com muita força.

Em toda a cidade, temos postos que distribuem o preservativo, de qualidade e gratuito. Procuramos nunca deixar faltar nenhum, seguindo a orientação do Ministério da Saúde, em intensificar a distribuição dele em determinadas  épocas do ano. ”

Segundo ela, os campo-larguenses podem contar ainda com exames rápidos para saber se possui o vírus HIV, além de exames de sangue para confirmar a presença desse ou de outros tipos no setor de Infectologia do município. Tudo é feito de forma sigilosa e o paciente, se diagnosticado, tem direito a receber o coquetel de remédios imediatamente.

“Hoje não existe grupo de risco, como antigamente. Todos estão no grupo de risco do contágio, incluindo adolescentes e idosos também. Os medicamentos para uma pessoa diagnosticada com AIDS estão cada vez mais evoluídos, ofertando a elas uma qualidade de vida superior. Porém, prevenir é sempre a melhor saída”, esclarece.

A bebida alcoólica é um fator bem preocupante também. “É importante sempre lembrar que é preciso beber com consciência, não dirigir após beber. Mas também é imprescindível alertar a necessidade de além de comemorar, se alimentar de forma adequada, seguindo os horários, procurar alimentos mais naturais, leves e saudáveis, ingerir muita água e dormir pelo menos oito horas por dia, para aproveitar os dias de festa com responsabilidade, sem se sentir mal no dia seguinte”, orienta Dr. Carlos.

“Recomendo também evitar brincadeiras que envolvem o álcool, como competições de quem bebe mais ou ficar girando e ingerir bebida alcoólica. É preciso saber dizer não a esse tipo de situação, pois ele pode trazer consequências sérias, que incluem quedas até graus mais acentuados de embriaguez. As misturas de bebidas alcoólicas também não são aconselhadas, de forma geral”, aconselha o Dr. Carlos.

Sobre as drogas é importante saber dizer não e ficar distante de locais onde se presencie o uso ou venda. Mas a recomendação é para que os pais tenham muito cuidado com filhos pequenos. “Às vezes, alguém pode estar fazendo uso de drogas nas proximidades e aquilo atingir crianças pequenas. A inalação da fumaça pode trazer consequências sérias, inclusive deixa-las na UTI”, alerta Leoni.

De olho no mosquito

Quem for viajar para localidades onde há presença de mosquitos infectados pela febre amarela, já deve ter se vacinado há 15 dias, para que ela tenha efeito. Os principais estados atingidos são Rio de Janeiro e São Paulo, pontos que chamam atenção pelas grandes comemorações de carnaval.

A vigilante sanitária aproveita para relembrar que o principal transmissor é o mosquito, por isso é de extrema importância combater ele. “Precisamos prevenir o aparecimento de mosquitos, pois ele é único transmissor de doenças como a febre amarela, dengue, zika e chikungunya. Antes de viajar, certifique-se que não há água parada no seu terreno, não há recipientes propícios para o desenvolvimento desse inseto. Prevenir é sempre o melhor caminho”, ressalta Leoni.

Campanhas

Do dia 06 ao dia 09 de fevereiro, a Vigilância Sanitária esteve em alguns postos de saúde - Águas Claras, Vila Glória, Bateias, Rivabem, Ferraria -, no Centro de Saúde, Centro Médico Hospitalar, nos CAPS e no Terminal Urbano para dar orientações de como aproveitar o carnaval de forma consciente, abordando esses pontos principais.

Com o tema “Arrastão leva a Dengue embora e não deixa as doenças fazerem sucesso na sua casa”, foram feitas conversas com pacientes e pessoas que frequentavam o local, a fim de criar conscientização sobre essas questões levantadas ao longo da matéria.

503 visitas








Sua Opinião