VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 12º | 22º
Quarta-feira | 22 de Novembro de 2017 23:44

Pista de Skate nem parece uma obra nova

Concluída em abril deste ano, a revitalização da Praça de Skate em Campo Largo foi motivo de reclamação dos usuários desde o início, principalmente pela qualidade da obra realizada na pista. Logo que foi concluída já começou a soltar o concreto da pista.

Por: Danielli Artigas de Oliveira

Concluída em abril deste ano, a revitalização da Praça de Skate em Campo Largo foi motivo de reclamação dos usuários desde o início, principalmente pela qualidade da obra realizada na pista. Logo que foi entregue já começou a soltar o concreto da pista, deixando buracos que colocam em risco os skatistas e inviabilizam a prática do esporte.

A Folha publicou uma matéria em março deste ano questionando a Prefeitura Municipal sobre a obra, tanto qualidade quanto valor do projeto, de R$ 179.830,67, sendo R$ 125.881,46 de material e R$ 53.949,21 de mão-de-obra. Na época, o engenheiro da Prefeitura Municipal responsável pela fiscalização da obra, Sergio Schmidt, afirmou que a obra estava seguindo o que estava no contrato e que tudo estava de acordo.

Um dos problemas apontados é que as pessoas que utilizavam a pista não estavam aguardando o término das obras e estava sendo necessário refazer alguns serviços devido ao mau uso. Mas mesmo depois de entregue os problemas continuaram. Na matéria publicada no início do ano ele também detalhava sobre os custos da obra.

Em contato novamente com o engenheiro para buscar uma resposta a esta reclamação, Sergio declarou que “a empresa assinou uma notificação para fazer o reparo (deixar em condições de uso) no acabamento do concreto que reveste a pista de skate e inclusive o proprietário da mesma esteve lá na pista este final de semana para supostamente efetuar os reparos. Contudo marcamos de irmos juntos na data de hoje (quarta-feira, 08) para realizar a vistoria. Considerando que a empresa é responsável pela manutenção de eventuais serviços realizados, pelos próximos cinco anos, reitero que já existe uma notificação a qual se a empresa não efetuar os reparos de forma satisfatória, a mesma sofrerá com as sanções e penalidades previstas em contrato”.
 

1767 visitas








Sua Opinião