VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 28º
Quarta-feira | 20 de Setembro de 2017 15:26

Professores ainda não receberam retroativo


Por: Danielli Artigas de Oliveira

28/12/2016

A cada dois anos há um reajuste salarial aos professores, o qual acompanha o tempo de serviço e plano de carreira. Em novembro deste ano eles receberam o aumento, mas não o valor retroativo, que seria referente aos pagamentos desde janeiro. Após muitas conversas entre a classe e o Executivo, ficou acordado que no final do ano seria pago, o que não aconteceu.

Em contato com a vice-presidente da Câmara Municipal de Campo Largo, Cléa Oliveira, ela comentou que os vereadores cobraram do secretário de Educação Avanir Mastey o pagamento que é de direito dos professores, o que tinha sido confirmado pelo Executivo.

Marcia do Rocio Carloto Tottene, presidente do Sindicato do Magistério Municipal de Campo Largo, explica que existe um recurso suficiente, próprio do Fundeb, mas o problema é que faltou espaço na Folha Global, porque a Prefeitura está acima do limite de Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo ela argumenta, há varias formas de baixas, diminuindo gratificações e alguns cargos, mas o Tribunal de Contas constatou que não foi suficiente e emitiu alerta no dia 09 de novembro proibindo que fossem concedidos avanços. “Tem dinheiro do Fundeb, destinado apenas para a Educação. Não é falta de dinheiro, é falta de espaço na Folha Global”, comenta.

Segundo ela, houve negociação com a classe de que o valor seria pago após as eleições, quando então aconteceriam demissões, as quais não foram suficientes. “Estava tudo certo para se pagar o avanço e o retroativo, mas enquanto tiver o problema da Folha isso não vai acontecer. Fizeram uma denúncia no Ministério Público de que existia a possibilidade da Prefeitura pagar mesmo com o alerta do Tribunal de Contas”, conta.

Com as novas medidas da próxima gestão, para reduzir a Folha de pagamento, os professores podem vir a receber. Mas, caso não seja pago, Marcia afirma que o Sindicato pode entrar com um processo judicial. “Vamos aguardar reunião com o próximo prefeito em janeiro. Temos que esperar ver como vai ficar a Folha de janeiro, ver se vai abrir espaço para negociação, pagar tavez parcelado”, completa.

4738 visitas








Sua Opinião





  • Por ze merenda - 02 Janeiro 2017 | 12h25min

    Os alunos tão ficando cada vez mais , como os manda chuvas querem, , , mais burros . . Onde ja se viu , 3 meses de aula, e os alunos bocós , ,passam de ano . .Os professores se peidando de medo dos alunos. . . em 2018 Jair Bolsonaro colocará fim à esta bagunça. .

  • Por Faltadevergonhanacara - 30 Dezembro 2016 | 09h44min

    Acho que falta um pouquinho mais de informação ao senhor zé merenda para enterder quais escolas são estaduais e quais são municipais, e informar-se por quais objetivos entram em greve ou paralisações!!!
    Ah e afinal ninguém é burro de carga e o tempo de escravidão já passou !!!

  • Por ze merenda - 29 Dezembro 2016 | 12h13min

    Eu acho que esses professores tão muito folgados. . No Djalma por exemplo , não teve 4 meses de aula , os alunos dali ja são burros, tão ficando ainda mais. . . . é só greve e paralisação. . . ta lokoo.

  • Por Faltadevergonhanacara - 28 Dezembro 2016 | 22h50min

    Isso é a pura falta de incompetência na gestão pública do município!!!
    Faltou relatar o salário depositado com atrasso e muitos com descontos fantamas e a falta de acesso ao holerite para a correta verificação.
    Estamos cansados de diálogo e conversinhas moles queremos atitudes e que se faça valer os nossos direitos pois dinheiro existe falta apenas competência para governar !!!!!