VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 22º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 10:23

Violência volta a assustar a população de Campo Largo

 A Polícia não tem condições de fazer o seu trabalho. Muitas vezes não tem recursos sequer para o combustível, não tem material humano suficiente para dar, ao cidadão, no mínimo, maior sensação de segurança.

Por: Luis Augusto Cabral

A semana anterior foi fria e violenta, e deixou marcas na cidade. Dois casos extremos, um acidente vitimando uma criança, na BR-277, e o assassinato de um motorista do Uber, causaram comoção e revolta, porque não têm explicação. São acontecimentos nos quais nós, os cidadãos, não conseguimos enxergar motivos, explicações. No caso do acidente da criança, pela violência, numa pista bem sinalizada, reta, só o acaso pode explicar.

Uma série de fatores podem ter contribuído para a tragédia que praticamente destruiu a família do caminhoneiro; falta de fiscalização de velocidade na rodovia, falta de redutores de velocidade, falta de humanidade de motoristas que agem como se fossem donos da estrada, fecham criminosamente os outros veículos e desaparecem como apareceram, sem serem identificados. Possivelmente esse caminhoneiro, e sua família, tenham sido vítimas de um deles.

Passada a tragédia na estrada, outro assunto que dominou as redes sociais de Campo Largo foi o frio. No dia mais frio do ano, os termômetros marcaram temperaturas abaixo de zero. Nas áreas de periferia da cidade, nos campos com cultura de hortaliças, os prejuízos foram enormes. Quem não protegeu seus cultivos com lonas plásticas, palhas e outros artifícios, perdeu muito.

A semana terminou com menos frio, mas com o horror estampado nos textos dos campo-larguenses nas redes sociais. O assassinato de um motorista do Uber chamou a atenção para a falta de segurança na cidade. O crime, que muitas vezes transborda de Curitiba e de outros municípios da Região Metropolitana, faz de Campo Largo mais uma cidade com medo. Falta efetivo para as polícias Civil e Militar, falta efetivo para a Guarda Municipal, não temos, ainda, um sistema de monitoramento por câmeras de segurança. O cidadão, muitas vezes, não tem para quem pedir socorro.

É claro que um crime desta envergadura, um latrocínio, nunca se pode prever, saber se vai e onde vai acontecer, mas várias ações policiais podem contribuir para inibir os assaltantes e fazê-los pensar duas vezes, e talvez até mesmo desistir de cometer tal atrocidade. Trata-se, simplesmente, de colocar mais Polícia nas ruas, ostensivamente, nas principais entradas da cidade, com equipes sempre alertas contra a presença de pessoas suspeitas. Hoje o cidadão atravessa a cidade, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, de dia ou à noite e não encontra uma viatura sequer. A Polícia não tem condições de fazer o seu trabalho. Muitas vezes não tem recursos sequer para o combustível, não tem material humano suficiente para dar, ao cidadão, no mínimo, maior sensação de segurança.

6013 visitas








Sua Opinião





  • Por Eu mesmo - 03 Agosto 2017 | 15h50min

    Concordo com Zé Merenda...Bolsonaro 2018...Para que cada cidadão tenha o Direito de possuir uma arma e defender seu patrimônio, sua família!!!

  • Por mauro - 03 Agosto 2017 | 11h41min

    Em vez de lotar a prefeitura de desocupados só a fim de mamar, o prefeito deveria aumentar o efetivo da
    guarda municipal.pagando melhores salários ,aumentando assim o patrulhamento ,
    Engraçado que no verão,as viaturas da PM tem combustível p/passear pelo calçadão ,dar um rolezinho ,ver as gatinhas .

  • Por ze merenda - 02 Agosto 2017 | 12h06min

    Eu acho que ., para acabar com a violência e vários outras coisas que acontecem , bastaria eliminar CNH feminina . Daríamos um grande passo para a vitória .

  • Por pronto falei - 31 Julho 2017 | 21h16min

    viatura tem bastante a pouco tempo atrás na frente do Macedo tinha umas 8 viaturas fazendo blits
    pelo jeito é mais lucro para os cofres públicos multar carro rebaixado e moto com escape esportivo que correr atrás de bandidos antes que apareça algum babaca falando bosta não estou criticando o trabalho dos policiais se eles estavam ali é porque eles foram mandados.

  • Por ze merenda - 27 Julho 2017 | 12h11min

    Será que mais policia nas ruas adiantaria ? Acho que não , pois a PM não pode estar 24h protegendo 100 % da população. E é nesses 2 , 3 por cento que acontecem os desastres . Temos é que eleger Bolsonaro e nós mesmos nos proteger ( e nossa família ) 24h por dia . Armados dentro de casa , recebendo bandido na bala.