VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 22º
Sábado | 23 de Setembro de 2017 20:42

Marcelo Puppi quer solucionar os problemas de maior urgência

A falta de médicos e medicamentos nos postos de saúde estão entre as prioridades que o novo prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, quer enfrentar já no primeiro dia de trabalho.

Por: Luis Augusto Cabral

29/12/2016

A falta de médicos e medicamentos nos postos de saúde estão entre as prioridades que o novo prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, quer enfrentar já no primeiro dia de trabalho. Ele pretende ampliar a parceria com a Universidade Positivo, para oferecer melhor serviço médico para os campo-larguenses, ainda em janeiro de 2017. Outra situação de emergência que ele pretende resolver, nos primeiros dias de governo, é a recuperação da malha viária da cidade.

“Sei que não há nenhum material, na garagem, para iniciar as obras de recuperação das ruas da cidade. Vamos ver o que é possível fazer já nos primeiros dias do Governo”, explicou ele, adiantando que vai criar uma comissão especial de Transição Tardia, para assessorá-lo em todos os pagamentos que terá que fazer. “No fundo do poço tem areia movediça, tem fornecedor que não recebe e está temendo a rescisão do contrato, tem problema na Educação, com a folha de pagamento, só depois que assumir é que podemos ver a real situação do problema”, disse ele em entrevista exclusiva à Folha de Campo Largo.

Saúde
Uma das questões que já está sendo tocada pelo novo prefeito é a Saúde. Ele disse que o convênio do Município com a Universidade Positivo é bom e deve ser ampliado. “Vamos ver se a UP entra no Posto de Saúde da Ferraria para que aquela unidade funcione, com médicos, das 07 às 22 horas.  Já estamos conversando com a administração da Positivo e tivemos uma sinalização positiva desse entendimento”, explicou.

Alfa Ville
Marcelo adiantou, em primeira mão, que está estudando um Termo de Cooperação com os empreendedores do Alfa Ville, que construirá um grande condomínio em Campo Largo. “A contrapartida que estamos sugerindo é a recuperação dos casarões da Ferraria e Estrada do Mato Grosso e a construção da trincheira do Cercadinho. Estamos com as tratativas bem adiantadas”, disse o novo prefeito.

Reforma
Marcelo disse, ainda, que encaminhará, já no dia 02 de janeiro de 2017, para a Câmara Municipal, o projeto de Lei com a Reforma Administrativa, extinguindo as seis secretarias que já anunciou e criando as gerências “para colocar ordem na casa”, explicou. “Nos primeiros meses sei que preciso de muita paciência para restabelecer o império da Lei e da Ordem na cidade. Todos nós, os campo-larguenses, estamos no mesmo barco. Exercerei o comando com tranquilidade, com força, mas sem autoritarismo”, disse ele. Marcelo toma posse neste domingo (01), às 18 horas, na Câmara Municipal, e em seguida assume o Governo do Município, para o quadriênio 2017/2020.

12407 visitas








Sua Opinião





1 2 3 >>
  • Por Mario Jorge - 13 Janeiro 2017 | 09h12min

    Só que já começou como os prefeitos anteriores só jogando pedrinhas nos buracos, cadê o serviço duradouro?

  • Por santodeus - 04 Janeiro 2017 | 21h09min

    e VIVA O PUPPI, VAMOs TORCER PARA QUE ELE CONSIGA TAPAR O BURACOS que a coisa está veia.

  • Por ze merenda - 04 Janeiro 2017 | 12h08min

    A resposta é não. Não podemos gastar muito dinheiro , reformando esses barracões velhos ai na Ferraria. Temos que comprar a legrand , ali vai muito dinheiro , mas teremos festa o ano inteiro , e é isso que o povo quer , farra e bagunça. Temos que escolher onde gastar a grana . E o mais correto é manter o Jd Esmeralda em boas condições e achar um lugar pra festa . Vida que segue .

  • Por Nei Zuzek - 03 Janeiro 2017 | 23h44min

    Parabéns pela excelente idéia de solicitar a recuperação dos casarões dá Ferraria e dá Estrada do Mato Grosso aos investidores do Alphaville. Sugiro também, se possível, o asfalto na Estrada Revier, que vai favorecer o trânsito inclusive dos futuros moradores do condomínio. Faz dois anos que mudei de Santa Felicidade para a Ferraria e sempre digo que o potencial turístico ecológico deste bairro é muito similar ao de Santa Felicidade, recuperando a Mato Grosso e os casarões pode se criar um roteiro de fim de semana para os curitibanos, que atualmente quando entram pelo Passaúna nem sequer sabem que estão entrando em Campo Largo.

  • Por SAMUEL ANTONIO DA SILVA - 03 Janeiro 2017 | 19h05min

    Pastor tem que ficar na igreja orando e não na prefeitura

1 2 3 >>