VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 21º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 17:52

Bebês prematuros precisam de atendimento especial ofertado em UTIs Neonatais

É importante que as crian­ças prematuras fiquem na UTI Neonatal para o amadurecimen­to do pulmão, alguns necessi­tam ficar entubados e também não conseguem manter a tem­peratura constante

Por: Caroline Paulart

 Bebês já são seres huma­nos frágeis, que precisam de muita atenção e cuidado. Esse cuidado triplica quando a crian­ça nasce com 37 semanas ou menos, pois ela é considerada como bebê prematuro, pois pre­cisam de cuidados especiais até alcançarem a maturidade e saí­rem da prematuridade.

A taxa de natalidade de be­bês prematuros hoje fica na mé­dia de 23% dos nascimentos, conforme conta a enfermeira coordenadora da UTI Neona­tal Sonia Scharam. “A UTI Neo­natal tem a porta aberta para o setor de Obstetrícia. Lá nascem desde bebês prematuros extre­mos, como bebês de mães que não realizaram pré-natal de for­ma correta ou tiveram um par­to muito difícil e a criança entrou em sofrimento, por exemplo.”

É importante que as crian­ças prematuras fiquem na UTI Neonatal para o amadurecimen­to do pulmão, alguns necessi­tam ficar entubados e também não conseguem manter a tem­peratura constante. “O tempo que elas precisam ficar aqui na UTI é muito variável. Tudo de­pende de criança para criança, quanto elas necessitam de cui­dado”, explica.

A enfermeira explica ainda que as crianças vão diretamen­te para a incubadora, um am­biente quente, escuro e muito semelhante ao útero da mãe. As mães podem permanecer com seus filhos durante todo o dia e os pais realizam visitas em horários de orientação mé­dica.

Ao todo, são 70 leitos na UTI Neonatal do Rocio, que se dividem em incubadoras, para bebês que precisam de atendi­mento especial, e os bercinhos, para bebês um pouco maiores, mas que ainda precisam da as­sistência da UTI.

Ao nascerem, os bebês recebem apenas a vacina de Hepatite B, as demais são apli­cadas posteriormente, quan­do a criança sai do Hospital. Há bebês que precisam receber medicações ainda quando re­cém-nascidos. Na UTI também é feito o tratamento com base de luz azulada, para curar a ic­terícia, ou o popular amarelão.

“O pré-natal é de extrema importância, evita que os partos prematuros aconteçam e que os bebês precisem ficar aqui”, aconselha Sonia.

Aleitamento materno

“Não há alimento ou remé­dio melhor para um bebê, do que o leite materno”, destaca Sonia. As mães que têm seus fi­lhos na UTI Neonatal precisam esgotar o leite, para que ele possa ser dado ao seu bebê. O cálculo da necessidade é feito pela nutricionista responsável, mas é bem pouco, variando en­tre um e 10 ml.

O Hospital precisa com fre­quência de doação de leite ma­terno de mães que conseguem produzir superior à demanda do seu bebê. O setor dispõe do ser­viço de um motoboy, que busca em casa. Tudo o que é recebido é levado ao Hospital Evangéli­co para a realização da pasteu­rização.

O processo de retirada do leite é muito importante. Ele deve ser colocado em pote de vidro, rosqueável, esterilizados em água fervente por pelo me­nos 15 minutos. A mulher preci­sa prender os cabelos, colocar máscara, lavar mãos e braços e esterilizar também os mate­riais que usa para ordenha. As primeiras gotas devem ser dis­pensadas. Após o término, o re­cipiente deve ir ao congelador ou freezer. Lembre-se de ano­tar a data que foi feita a retirada.

Para mais informações so­bre procedimentos e doações, pode entrar em contato direto com o Banco de Leite do Hos­pital do Rocio, pelo telefone (41) 3136-2676.

2191 visitas








Sua Opinião