VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 18º | 27º
Sábado | 25 de Fevereiro de 2017 10:40

Lepidium Meyenii - a conhecida Maca Peruana


Por: Ana Lúcia Kuroski

27/12/2016

Quanto mais a ciência estuda, mais se descobre o que a natureza pode oferecer aos seres humanos para garantir melhorias na saúde e no bem-estar. Muitas plantas eram simplesmente esquecidas e atualmente começam a ser reconhecidas por suas propriedades benéficas ao nosso organismo. Uma delas é a Maca Peruana (Lepidium Meyenii), um tubérculo originário da Cordilheira dos Andes, com formato semelhante ao de um rabanete.

Possui nutrientes importantes como: aminoácidos, carboidratos, fibras, cálcio, ferro, magnésio, ômegas 3 e 9, fósforo, potássio, zinco, selênio e vitaminas B1, B2, C e E. Também é conhecida com Ginseng Peruano, uma das raízes mais fortes em forma de alimento.

Alguns estudos indicam que ela pode melhorar e auxiliar na fertilidade e libido. Apresenta fitoquímicos como os alcaloides, que contém características semelhantes aos estrogênios e as prostaglandinas, além de combinação de vitaminas do complexo B, Zinco e vitamina E. Com isso tem uma colaboração no controle dos sintomas da menopausa Outras características da Maca:

- Promove o aumento de energia e vigor físico. É uma raiz rica em carboidratos complexos, principal nutriente responsável pelo fornecimento de energia, além de ser fonte de vitaminas do complexo B, que participam das reações relacionadas à produção de energia ao organismo; - Por ser uma raiz rica em muitos minerais e vitaminas do complexo B, melhora o metabolismo energético, propiciando ganho de massa muscular; - Auxilia na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, ajuda no controle da hipertensão arterial e hipercolesterolemia, pela presença dos ômegas 3 e 9; - Apresenta o aminoácido arginina, que atua no aumento da imunidade; - Auxilia as dietas de emagrecimento pela grande quantidade de fibras, aumentando a saciedade e diminuindo o apetite; - Com grande quantidade de fibras, ajuda no controle da diabetes, evitando a liberação de grandes quantidades de insulina de uma só vez.

DRA. ANA LÚCIA B. KUROSKI
Nutricionista - CRN/8 601
Especialista em Nutrição Clínica. Atende: 3032-5020

2138 visitas








Sua Opinião