VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 13º | 21º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 02:26

Secretaria da Saúde investiga morte do garotinho Breno

Várias hipóteses foram levantadas, mas todas são, por enquanto, especulação, inclusive a possibilidade de broncoaspiração. Vão averiguar o que ocorreu entre a alta do menino, no Centro Médico, às 8h, e sua chegada no Posto Central, às 10 horas.

Por: Luis Augusto Cabral

A morte do garotinho Breno dos Santos Padilha de Souza, de 11 meses, ocorrida no último dia 29 de maio, no Centro Médico Hospitalar, é objeto de investigação detalhada pela Secretaria Municipal de Saúde de Campo Largo. A secretária Christiane Chemin determinou a abertura de sindicância, presidida pelo diretor técnico da Secretaria, Dr. Carlos Rocha. “Todas as circunstâncias do atendimento estão sendo levantadas para que possamos verificar se houve alguma irregularidade”, explicou ela.

O diretor técnico, Carlos Rocha, disse que “serão realizadas reuniões do Comitê de Ética Médica e do Comitê de Mortalidade Materno-Infantil, para apurar os fatos. A reunião do Comitê de Ética será realizada no próximo dia 13, e do Comitê de Mortalidade ainda não tem data marcada. Estamos aguardando, ainda, o resultados dos exames que podem apontar para alguma enfermidade que possa ter causado a morte do menino”.

Sindicância
Carlos Rocha disse que, “até agora, ficou evidente que houve um lapso aproximado de duas horas, entre a alta do menino, no Centro Médico, às 8h, e sua chegada no Posto Central, às 10 horas. Quando saiu do CMH, com alta, segundo as anotações do prontuário, ele tinha uma condição de saúde, e quando chegou no  Posto, o quadro já era bem diferente. Vamos averiguar o que ocorreu nesse tempo”. Ele disse que várias hipóteses foram levantadas, mas todas são, por enquanto, especulação, inclusive a possibilidade de broncoaspiração.

A secretária Christiane Chemin adiantou que “nossa preocupação é apurar a fundo esta questão, até para que, se houve alguma falha no atendimento do menino, isso não se repita. Se a sindicância apurar algum problema, será aberto um processo administrativo para apurar com mais profundidad, toda a situação”.
 

7336 visitas








Sua Opinião