VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 22º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 10:25

SUS amplia acesso ao DIU no pós-parto

O SUS disponibiliza o DIU de cobre para mulheres no pós-parto, aborto e até para adolescentes

Por: Caroline Paulart

O Ministério da Saúde anunciou que o Dispositivo Intrauterino - DIU será disponibilizado para mulheres imediatamente após o parto, ainda no centro cirúrgico. Está englobado também nesse serviço mulheres que sofreram abortos espontâneos ou provocados em maternidades assistidas pelo SUS em todo o país. Desde 2000, o dispositivo intrauterino está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o país, mas era colocado algum tempo depois do parto.

O DIU é hoje o método contraceptivo mais usado no mundo, entretanto é pouco conhecido no Brasil, apenas 1,9% das mulheres em idade fértil utiliza o método. A médica ginecologista e obstetra do NIS III, Carolina Pereira de Andrade, explica como funciona o DIU. “Ele é inserido no útero pelo médico ginecologista. É altamente eficaz com duração contraceptiva maior ou igual a cinco anos. As taxas de gravidez são de menos de 1% ao ano em uso perfeito.”

Existem no mercado dois tipos de DIU, um de cobre (disponibilizado pelo SUS) e um medicado. “O DIU com ativo de cobre dura 10 anos e tem taxa de eficácia de 0,6 a 0,8 %, ou seja, menos de uma gestação a cada 10 mulheres em um ano. Este DIU não possui componente hormonal, podendo ser usado por qualquer mulher em idade reprodutiva e vida sexual ativa, desde que não possua alteração anatômica de cavidade uterina. O benefício dos LARCs frente aos outros métodos é que seu efeito contraceptivo não depende do uso correto pela mulher, além de reduzir taxa de câncer cervical e endometrial”, explica.

Para que a mulher coloque o método contraceptivo pelo SUS é necessário passar por consulta na Unidade Básica de Saúde e solicitar encaminhamento para o serviço de Ginecologia do município. A colocação é feita rapidamente no consultório e a mulher pode levar uma anestesia local, portanto, tudo é feito sem sentir dores. É importante ter certeza que a paciente não está grávida, por isso os médicos optam por colocar no período menstrual, entretanto não é contraindicada a sua inserção fora deste período.

O DIU pode ser colocado imediatamente pós-parto normal ou cesárea, e segundo a Dra. Carolina esta é a mais nova recomendação da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) e pode ser colocado em qualquer mulher, independente da idade, inclusive por adolescentes. “Com a abertura maior para a colocação é possível reduzir o número de gravidezes não desejadas. Poderia evitar 60% das mortes maternas e 57 % das mortes infantis”, indica.

DIU medicado

A mulher que quiser colocar o DIU medicado, deve comprá-lo na farmácia e solicitar a colocação no consultório ginecológico do SUS, sem custo para a colocação.

Segundo a médica, os benefícios para o DIU medicado são: redução da quantidade e duração do ciclo menstrual, prevenção da anemia relacionada à perda sanguínea, alívio da cólica menstrual, redução da dor associada à endometriose e adenomiose, proteção do endométrio durante o uso de terapia hormonal e redução do risco de câncer endometrial.

4140 visitas








Sua Opinião