12h39 - 18 de Setembro de 2014

Geral

Creche Mariinha

28/10/2011

A Creche Mariinha, o maior Centro de Educação Infantil de Campo Largo, é destaque no jornal da Federação Espírita do Paraná. No veículo, a história dos 35 anos de fundação da Mariinha é relatada, lembrando a Portaria 2/76, de três de Outubro de 1976, da Federação Espírita do Paraná, assinado pelo então presidente João Ghignone.
Situada na Rua XV de Novembro, 2.691, a Creche Mariinha atende, atualmente, 240 crianças de quatro meses a 14 anos, em horário integral, com cinco refeições diárias: Café da Manhã, lanche, Almoço, lanche da tarde e Jantar, em geral uma sopa, esta minutos antes de deixar a creche,  às 17 horas.
Independência
A Creche Mariinha tem um diferencial que a faz única, na Região Metropolitana de Curitiba, ela é interativa, envolvendo a família, a entidade, os profissionais, a comunidade e os governos. Nela as crianças são incentivadas a desenvolver suas potencialidades, o que as torna, em pouco tempo, independentes para construir seu próprio conhecimento físico, psicológico e social.
A entidade possibilita, ainda, um clima de segurança, confiança e afetividade, tornando-se um lugar rico, no qual as crianças adquirem experiências, aprendem a se expressar, a se comunicar, e ser feliz. Na Mariinha as crianças crescem brincando, além de receberem educação, aprendendo a respeitar as diversidades, começando pela aceitação do outro, em suas diferenças e particularidades. Lá não se faz diferença de conhecimento, habilidades, etnia, credo religioso ou situação econômica e social.
Na Mariinha as crianças participam, além de outras atividades, do Projeto Brasil Pátria Amada, com o hasteamento das bandeiras do Brasil e de Campo Largo, todas as quartas-feiras, além da interpretação dos hinos Nacional e do Município. Há, ainda, os projetos Dia de Pesquisa, Arte ao Ar Livre, Minha Horta, Momento Mágico e Feira de Ciências.
As crianças do Pré I e II, servem-se sozinhas à mesa, têm regras de etiqueta e higiene e participam de uma oficina, uma vez por mês.
Semanalmente um grupo de voluntários da Sociedade Espírita João Ghignone realiza aulas de Moral Cristã, com histórias, utilizando apostilas e livros infantis espíritas, seguidas de passe.
Brincadeiras infantis, como a Amarelinha, corda, salão de beleza, desfile de modas, Futebol, Vôlei, Basquete, casa de bonecas, água, areia, carrinhos, passeios, são atividades recreativas comuns, na creche Mariinha.
Quem faz
Ao longo desses 35 anos de atividade, a Creche Mariinha adquiriu notoriedade, no Município e na Região Metropolitana de Curitiba. Localizada na rua Xv de Novembro, 2.961, no centro da cidade, a creche recebe crianças de vários bairros, cujas mães necessitam de um lugar seguro, para deixar seus filhos, e assim poderem exercer atividades profissionais, ou até mesmo estudar.
Além da Federação Espírita, mantenedora da entidade, a Creche Mariinha também recebe ajuda do poder público municipal e da sociedade em geral (comercio, indústria e pessoas físicas). Ao longo da sua história, três mulheres se destacam à frente da entidade, Lolari Portugal Caneparo e Magali Beatriz Sanches (irmãs) e Andréa Sanches dos Santos, filha de Magali e sobrinha de Lolari, diretoras que dividem entre si, as decisões sobre a administração da Creche Mariinha. Lolari Portugal Caneparo é a presidente da Instituição; Magali Beatriz Sanches é vice-presidente e Andrea Sanches dos Santos é diretora. São como “fadas madrinhas” das crianças da creche, admiradas e respeitadas por todas, inclusive os hoje pais, ex-alunos da Marrinha, que mantêm seus filhos naquela creche.
Lolari, Magali e Andréa contam, ainda, com amplo respeito e admiração da sociedade campo-larguense, pelo belo trabalho que desenvolvem. Trabalho que já serviu a milhares de cidadãos, muitos deles, hoje, jovens em escolas de primeiro e segundo graus, e outros em faculdades ou já profissionais liberais, técnicos, empresários e políticos.
 

837 visitas


Comentários

Fechar
Atenção Internautas: A Folha de Campo Largo não interfere na opinião dos leitores. Os internautas são responsáveis pelos seus comentários, inclusive juridicamente, se for o caso, até porque os comentários ficam gravados por até três meses e, se necessário, é possível identificar o IP, endereço, nome do proprietário da máquina etc. Não existe anonimato. A nossa única interferência é não publicar as opiniões que tenham palavrões e xingamentos preconceituosos, para evitar discussão. Todas as opiniões publicadas, o são, na íntegra, sem modificações, inclusive com os eventuais erros de Português. Só solicitamos aos internautas que utilizem esse espaço para uma discussão sóbria, civilizada e construtiva. A Folha não emite opiniões e nem entra nas discussões dos internautas.

Envie seu comentário:


Vídeos

Ganhador de R$ 6 milhões é preso por estelionato

Enquetes

Na sua opinião, qual o principal motivo para tanta violência?

Guia Folha


Impressos




Rua Gonçalves Dias, 1127 - Campo Largo / PR
Telefone: (41) 3032-3838