VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 14º | 28º
Quarta-feira | 20 de Setembro de 2017 15:25

Presidente da Câmara, vereador e servidora tem bens bloqueados a partir de ação do MP-PR


Por: Germano

05/10/2016

Fonte: Ministério Público do Paraná

A Justiça decretou a indisponibilidade de bens do presidente da Câmara de Vereadores de Campo Largo,  e de uma servidora comissionada da Casa Legislativa. A liminar, proferida no dia 26 de setembro, atende ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca, que sustenta que a funcionária, nomeada em janeiro do ano passado pelo vereador, para o cargo de “assessora comunitária”, efetivamente nunca trabalhou.

A decisão fixou o bloqueio de bens no valor de R$ 40.575,27, total equivalente aos vencimentos recebidos pela servidora desde sua nomeação. Uma eventual condenação por ato de improbidade pode levar a sanções como o afastamento da função pública, suspensão dos direitos políticos, devolução dos valores recebidos indevidamente ao erário e multa, entre outras.

Em relação ao presidente da Câmara, verificou-se por meio da investigação que ele teria agido com negligência ao deixar de implantar sistema de controle de frequência e de jornada de trabalho idôneo dos servidores da Casa Legislativa.

A investigação que resultou na ação civil pública foi desenvolvida com suporte do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP-PR, por meio da “Operação Caixa Preta”, deflagrada no início deste mês para apurar a existência de diversas irregularidades na Câmara, dentre elas, a de funcionário fantasma no legislativo municipal.
9419 visitas








Sua Opinião





1 2 >>
  • Por Anderson - 07 Outubro 2016 | 10h05min

    O promotor de justiça de Campo Largo vai ter trabalho no início de 2017 onde vários vereadores eleitos vão estar doidos para assumir a cadeira mas se esquecem que a compra de voto como "gasolina" "100 reais na boca de urna" "baixa renda na água" "pagar fortuna para cabo eleitoral correr atrás de votos"...tudo isso é ilegal e proibido....mas o guardião da lei está ae ...só começando ...tem muita coisa para colocar em ordem...por isso apoio o ministério público...

  • Por Gilmar - 06 Outubro 2016 | 20h10min

    Obrigado Zecão por ter dado a noticia completa, a duvida agora é porque que não foi dado o nome dos envolvidos? Huumm...

  • Por ZECAO - 06 Outubro 2016 | 13h17min

    A Justiça decretou a indisponibilidade de bens do vereador Joslei Natal Basso de Andrade e do presidente da Câmara Municipal de Campo Largo, Márcio Ângelo Beraldo, pela manutenção de uma “funcionária fantasma” na Casa. A servidora comissionada, Noeli Antonia Fedalto, também teve seus bens bloqueados.

    A liminar, proferida no dia 26 de setembro, atende uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca. Segundo a ação, a funcionária, nomeada em janeiro do ano passado pelo vereador para o cargo de “assessora comunitária”, nunca trabalhou.

    A decisão fixou o bloqueio de bens no valor de R$ 40.575,27 – total equivalente aos vencimentos recebidos pela servidora desde sua nomeação.

  • Por Curuja - 06 Outubro 2016 | 11h10min

    E a famosa meia noticia... temos que recorrer a outro jornal para saber o nome do presidente da câmara de vereadores de Campo Largo, afinal ou dar a noticia completa ou não dá

  • Por cagado - 05 Outubro 2016 | 19h18min

    eu acho que nao foi nada disso eu acho deve ter sido um equivoco se fizer um pente fino nos ultimos 10 anos nao sobra um que nao tenha rabo presso

1 2 >>