VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 13º | 21º
Terça-feira | 12 de Dezembro de 2017 02:34

Recordar é Viver

Desde jovem o Ivo passou a gostar de futebol, como todo bom brasilei­ro passou a fazer parte da equipe Juvenil do Internacional de Cam­po Largo.

Por: Lauro

Em 1940, o casal Maria Joana e Francisco Am­brosio, naturais do estado de Minas Gerais, vieram para Campo Largo para fazer parte dos funcionários da empresa Leão Junior, na explo­ração de ouro, na mina localizada no Timbotuva.

Naquele ano nasceu um dos filhos do Seu Chi­co e Maria Joana. Nasceu e foi ba­tizado como Ivo Eloy Ambrosio. Desde jovem o Ivo passou a gostar de futebol, como todo bom brasilei­ro passou a fazer parte da equipe Juvenil do Internacional de Cam­po Largo. Em seguida foi jogar no Clube Esportivo Mandacaru, na cidade de Maringá.

Em 1962 foi fazer parte dos funcionários da então Porcelana Steatita (atualmente Schmidt) e jogar na equipe da Agremiação Steatita, onde foi campeã do 15º Campeonato Campolarguense, com equipe assim formada: Car­los, Almir, Dito, Rui, Lauro, Edu­ardo, Agostinho Magaton, Nequi­nho, Nininho, Ivo, Durvalino, téc­nico Botuca (Eduardo Winheski).

Em 1963 foi jogar pelo Faná­tico F.C., até 1974, conseguindo mais de oito títulos de campeão (titular). Depois de veterano, fez parte do time do E.C. 21 de Abril, do Itaqui, com grandes atletas, como Nininho, Renatinho, Alcin­do e Adir. Em 1980, no E.C. 21 de Abril, encerrou sua brilhante carreira como atleta no jogo entre o time do Itaqui e Internacional pelo Campolarguense, com o placar de 0 x 0, com o Alvi Negro sendo campeão, no Estádio Fritz Erwin Schmidt, no Itaqui.

Também há muitos anos, todos os fins de semana joga sua bolinha na Cancha do Clube Polonês e mantém assim sua for­ma física, que é ótima. Indagado pelo repórter Lauro sobre como conseguiu se manter assim, com toda essa vitalidade, disse que leva uma vida normal, trabalhan­do e com muito cuidado com a alimentação, principalmente com o consumo de bebidas que nunca podem ser alcoólicas.

A foto do Ivo, que hoje ilustra esta matéria, foi batida em 1965 no Estádio da Baixada, que ainda não tinha alambrado, como mos­tra a foto. Ivo Eloy Ambrosio foi e é exemplo de como se deve viver, como pessoa e atleta. Parabéns pra você Cravinho.

545 visitas








Sua Opinião