Domingo | 28 de Novembro de 2021 11:01
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Sem previsão de grande volume de chuva para os próximos dias, seca deve piorar na região

Estiagem desde dezembro já preocupa e transforma as passagens locais. Lagoa está quase completamente seca e outro local que preocupa é a represa do Passaúna. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, choveu 92% abaixo da média histórica em março.

Com estiagem desde dezembro de 2019 na região Sul do Brasil, as paisagens de Campo Largo vêm mostrando o reflexo da pouca quantidade de chuva, que estão sendo muito pontuais e com pouco volume, o que tem refletido na vegetação e na seca. A Lagoa e o Passaúna, por exemplo, têm chamado atenção dos moradores locais pela seca, que chega a causar um impacto de ver o quanto o nível da água baixou.

As chuvas em março tiveram um volume abaixo da média em praticamente todo o Paraná, segundo informações do Simepar, e a previsão para as duas próximas semanas se mantém com dias mais secos e chuvas isoladas. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, choveu 92% abaixo da média histórica para esse período na capital paranaense.

Devido à falta de chuvas, a Sanepar tem tomado medidas para evitar a falta de água em Curitiba e Região Metropolitana. A companhia informa que embora as quatro barragens do Sistema de Abastecimento Integrado (SAIC) tenham reserva suficiente para manter a produção de água, o mesmo não acontece no sistema Miringuava, que depende diretamente do Rio Miringuava. “O rio teve queda de 60% na vazão (de 1.000 litros/segundo para 400 l/s), o que levou a Companhia a implantar rodízio em Curitiba e Região Metropolitana. Uma das medidas adotadas pela Sanepar foi colocar em funcionamento mais um conjunto motobomba de uma das estações elevatórias do Sistema Iguaçu. Este conjunto permite o envio de mais 330 litros/segundo de água já produzida para outros centros de reservação, possibilitando flexibilizar ainda mais o sistema de distribuição de água de Curitiba e Região Metropolitana.”  

A situação tem exigido atenção da equipe constantemente para que tudo funcione bem e por isso também orientam que a população use água de forma racional, com prioridade para consumo humano e higiene pessoal. Atividades como lavar calçadas ou carros devem ser evitadas. O reaproveitamento da água de máquinas de lavar roupas é uma alternativa para a limpeza de casas.

Represa do Passaúna - Foto de Haroldo Marconi.